Os 9 principais erros cometidos na gestão de manutenção de frota - Blog Cavese Scania - Tudo sobre o seu caminhão
Os 9 principais erros cometidos na gestão de manutenção de frota

Fazer a gestão de manutenção de frota é essencial não somente para controlar os gastos com as trocas e ajustes de componentes/peças, mas também para melhorar a performance dos processos por meio do controle da atividade de cada veículo.

Durante as obrigações de rotina, muitos gestores não identificam falhas que podem prejudicar todo o andamento do negócio. Pensando nisso, listamos os 9 erros mais comuns na manutenção de frota e algumas orientações para evitá-los. Confira no post!

1. Não planejar manutenções preventivas

Ainda que seja fundamental na gestão de qualquer empreendimento, a manutenção preventiva pode trazer grandes vantagens no gerenciamento dos componentes de uma frota.

Atualmente, muitas transportadoras encaram problemas durante o processo de entrega de suas mercadorias. Esse fato gera diversos prejuízos ao negócio, como atrasos constantes, aumento do prazo de frete, perda de clientes, entre outros.

Para mudar tal cenário o planejamento se torna indispensável, afinal, garante que todas as operações da frota funcionem perfeitamente e com prazos em dia. Isso inclui os procedimentos que os motoristas devem seguir durante o andamento das entregas. Muitas concessionárias possuem o agendamento de serviço, onde oferecem benefício como box exclusivo para o serviço e até mesmo desconto em mão de obras e peças.

Vale também registrar as rotas mais favoráveis — que apresentam índice menor de defeitos e quebras — para elaborar um roteiro mais adequado às demandas e características de sua frota.

2. Não prestar atenção a tributos e taxas

É de responsabilidade do gestor sempre acompanhar as taxas e impostos incididos, a fim de deixar toda a documentação em dia e evitar, dessa forma, que seus caminhões sejam apreendidos durante as fiscalizações de rotina.

Qualquer erro nesses documentos pode representar diversos abatimentos em suas entregas, que incluem desde atraso das mercadorias até multas que variam conforme o tipo da documentação.

Para não passar por uma situação dessas, crie planilhas que indicam a data de atualização e expiração de cada uma das taxas, como ICMS, IPVA, CAT (Custo Adicional de transporte Rodoviário), GRIS (Gerenciamento de Risco e Segurança), pedágios e outros encargos. O ideal é utilizar softwares especializados para facilitar o controle.

3. Negligenciar a gestão dos pneus

Quando o assunto é manutenção de frota, o gasto com pneus costuma estar entre os mais caros. Por esse motivo, é de grande importância que você dê atenção a este componente tão essencial para os veículos. Portanto, crie um cronograma de conservação baseado em:

  • inspeções periódicas;
  • controle de pressão;
  • rodízios;
  • manutenções;
  • trocas.

É importante ressaltar que os pneus não impactam somente nos custos, mas também refletem diretamente na segurança dos motoristas e de terceiros.

4. Não gerenciar o consumo de combustíveis

Muitas questões podem elevar o consumo de combustível, tais como: idade dos veículos, ausência de manutenção e o comportamento dos condutores. Ter conhecimento preciso do custo médio de cada caminhão ajuda a determinar quais ações imediatas devem ser tomadas.

É fundamental colher o maior número de informações para tomar as melhores decisões. Afinal, estamos falando de máquinas caras e que necessitam de um controle rigoroso.

5. Trabalhar com funcionários desqualificados

Não adianta ter uma boa gestão de manutenção de frotas se os motoristas não estiverem aptos a lidar com todas as adversidades que podem surgir durante os trajetos.

Quando um caminhão inicia sua viagem, a obrigação de garantir seu desempenho e segurança passa a estar nas mãos do condutor, portanto, é muito importante estar atento ao modo como a direção é realizada para evitar problemas.

O ideal é investir em treinamentos de condução defensiva, manutenção básica e transporte de cargas perigosas (caso seja seu segmento) para garantir que todo o processo ocorra da melhor forma possível.

6. Desconhecer o histórico dos veículos

Saber de onde vieram, por onde andaram e que tipo de reparo os veículos já receberam é imprescindível para ter conhecimento de suas necessidades atuais na manutenção de frota.

Isso ajuda a evitar surpresas desagradáveis e gastos excessivos, mas também contribui para o bom funcionamento e segurança dos caminhões. Fica mais simples compreender quanto cada um gasta e determinar qual serviço de manutenção é mais apropriado.

Dessa maneira, sua frota evita desgastes em grande escala e se prepara para quando as correções forem, de fato, necessárias.

7. Não acompanhar as rotas

Os quilômetros a serem percorridos, as cargas carregadas, as condições das rodovias e as rotas utilizadas afetam diretamente a frota.

Se esses fatores não forem bem planejados, os veículos podem desgastar rapidamente, aumentando as chances de danificar componentes importantes da mecânica. Logo, é essencial saber os caminhos percorridos para manter a manutenção em dia com o cronograma.

Ter um sistema que faça o rastreio e obtenha dados dos veículos em tempo real é fundamental para garantir a integridade das máquinas. Esse tipo de funcionalidade também ajuda a indicar os melhores trajetos, o que pode evitar possíveis furtos ou roubo de cargas.

8. Não realizar vistorias técnicas

Todo empreendimento do segmento frotista deve implantar uma política interna de fiscalização em relação à emissão de fumaças escuras para não ser multado por órgãos ambientais fiscalizadores.

Nesse processo, é preciso verificar o aspecto visual da fumaça emitida. Se for constatado que ela está preta, basta fazer o reparo dos componentes danificados.

9. Não ter atenção à vida útil das peças

Essa recomendação final está diretamente ligada à manutenção preventiva da frota. É necessário ter controle das trocas e da durabilidade das peças e acessórios comuns dos caminhões, como baterias, pastilhas de freio, amortecedores, pneus, etc.

Esses são itens fundamentais que, caso não sejam substituídos no período indicado, podem intensificar o desgaste de componentes mais caros e até causar acidentes graves. Lembre-se que diminuir custos relacionados à manutenção é a solução para ter uma operação otimizada.

Uma boa dica é elaborar um planejamento para a renovação da frota de forma recorrente, já que caminhões mais novos geram menos gastos com reparos e suas peças duram mais.

Se as informações mencionadas ao longo deste post forem colocadas em prática na manutenção de frota da sua transportadora, você certamente evitará erros comuns e aumentará a competitividade do seu negócio. Além disso, poupará custos consideráveis que podem ser direcionados para fazer melhorias e novos investimentos.

Gostou deste conteúdo? Aproveite o gancho da leitura e conheça as vantagens de adquirir peças originais para o seu caminhão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *