Gestor de Frotas: quais as suas principais responsabilidades? - Blog Cavese Scania - Tudo sobre o seu caminhão
Gestor de Frotas: quais as suas principais responsabilidades?

O gestor de frotas é um profissional de grande importância para alcançar os melhores resultados em uma transportadora. Ele é o encarregado pelo agrupamento de ativos que geram o capital para a manutenção desse tipo de negócio. Por isso, ele deve cumprir alguns requisitos que o ajudarão a realizar suas atividades da melhor maneira possível.

Em razão disso, elaboramos este material. Nele, você vai encontrar tudo o que precisa para se tornar um profissional mais completo. Quer otimizar a gestão da sua frota e ser reconhecido? Então continue lendo este post!

O papel do gestor de frotas

De uma forma geral, as obrigações referentes à gestão de frotas são:

  • fazer gestão de equipe e adjacentes;
  • gerenciar finanças;
  • desenvolver um bom relacionamento com fornecedores;
  • elaborar relatórios de custo e produtividade;
  • coordenar a manutenção preventiva e corretiva dos veículos;
  • analisar e propor soluções para a dinâmica da frota.

A seguir, listamos alguns pontos importantes e competências que devem conduzir as funções do gestor.

Ser ágil nas tomadas de decisão

É fundamental deixar claro que diversos imprevistos surgem no dia a dia do gestor e demandam prontidão e decisões ágeis para evitar que os problemas se tornem mais graves.

Portanto, treinar e desenvolver essa habilidade é imprescindível. Ao agir dessa forma, você obtém reconhecimento e estimula uma maior eficiência no local de trabalho, trazendo melhores resultados para o negócio.

Conhecer o mercado de atuação

Como visto no item anterior, o gestor de frotas tem uma rotina cheia de decisões pertinentes que podem mudar toda a operação logística do empreendimento. Logo, a compreensão do mercado frotista é crucial para entender as sazonalidades do segmento de atuação.

Oferecer segurança aos condutores

Consolidar uma política de segurança deve estar entre os objetivos do gestor. Mas vale ressaltar que segurança é um princípio que excede as apólices e coberturas dos veículos.

Na verdade, esse profissional pode ser classificado como um gestor da vida, ou seja, ele deve determinar práticas que evitem acidentes e outras ocorrências que põem em risco a vida dos condutores, mecânicos e terceiros.

Gerenciar os processos de manutenção

Antes de aprofundarmos neste assunto, temos que fazer uma pequena introdução sobre as categorias de manutenção que normalmente são exercidas na gestão de frotas. Vamos a elas:

Manutenção corretiva

É a manutenção que é realizada quando o defeito já apareceu. Portanto, podemos dizer que é um procedimento reativo — espera pela falha para, só então, fazer o conserto.

Manutenção preventiva

Apesar desse tipo de manutenção ser encarada como um gasto desnecessário, ela pode gerar economia a longo prazo. Isso porque seus procedimentos analisam os componentes/peças e realizam a substituição daquelas que poderiam apresentar defeitos, antes que eles ocorram.

Manutenção preditiva

Essa é a categoria de manutenção mais precisa e que demonstra maior diminuição nos custos, podendo chegar a 40%. Isso se deve pelas análises que concedem um detalhamento amplo do estado de degradação e desgaste das peças. Essa técnica permite:

  • diminuir o tempo de parada dos caminhões para reparos;
  • que as trocas desnecessárias sejam evitadas;
  • antecipar a intervenção de peças;
  • aumentar a eficiência em relação à performance da frota.

As características de um gestor de frotas

Como o gestor é responsável pelo controle de equipes e de veículos, ele precisa ter/desenvolver características que possam ajudá-lo a melhorar a produtividade, a eficiência e a redução de custos da transportadora. Elas são:

Engajamento

O engajamento é um dos grandes objetivos das empresas, pois envolve pessoas e processos. Na área de transportes não é diferente, o gestor de frotas deve estar sempre atento ao desenvolvimento do time e ser capaz de promover a motivação de todos.

Visão Estratégica

É necessário ter uma visão integral de toda a operação para detectar problemas e definir estratégias para eliminá-los. Por isso, a visão estratégica é uma habilidade indispensável aos comandantes do segmento logístico.

Resiliência

Profissionais resilientes têm grande capacidade de se adaptarem às mudanças, pois agem com positividade em períodos de crise e sempre aprendem com os desafios do dia a dia.

Organização

Por fim, a organização é uma conduta determinante para que o gestor de frotas realize um bom trabalho. Investir em tecnologia é de grande ajuda para manter as obrigações de rotina em ordem. Alguns softwares são excelentes para diminuir o número de papéis e automatizar processos manuais.

Os conhecimentos necessários para ser um bom gestor de frotas

Agora que você já conhece o básico para ser um gestor de frotas, vamos falar sobre os conhecimentos necessários para o cargo. Vejamos, a seguir, o conjunto de informações que você precisa compreender — ou ter um entendimento mais abrangente.

Leis de trânsito e regras de direção

Faz parte da rotina do gestor de frotas esbarrar com diversas autuações/multas ou até mesmo queixas de terceiros sobre o comportamento dos motoristas. Se ele não conhece as leis de trânsito e as normas de direção, terá dificuldades para impor uma mudança de atitude aos condutores.

Ler e analisar a legislação e suas regras pode ser cansativo. Porém, esse tipo de estudo é necessário e dá mais segurança na hora de elaborar as normas operacionais do negócio.

Conhecimentos básicos de logística

É preciso ter conhecimentos básicos de armazenamento e distribuição de cargas. Afinal, esses fatores integram a base de um processo logístico. Portanto, é essencial que o gestor saiba dominá-los para realizar a sua função da melhor forma possível.

Habilidades de negociação

Administrar qualquer setor de uma empresa envolve constantes negociações com todas as pessoas envolvidas. Nesse caso, a gestão de frotas não é diferente. Logo, você precisará negociar com:

  • fornecedores: as melhores mercadorias e preços;
  • funcionários: as boas práticas para frota;
  • parceiros: acordos que tragam vantagens para ambas as partes.

Alguns profissionais enxergam as negociações como uma queda de braço, na qual só um indivíduo pode sair vencedor. Mas o segredo aqui é encontrar soluções “ganha-ganha”. Dessa forma, a negociação será mais benéfica e manterá a relação sempre aberta para futuros acordos.

Gestão financeira

Saber analisar e gerenciar custos é crucial para o gestor direcionar o capital da empresa corretamente. É necessário conhecer o comportamento da equipe e compreender quais são os maiores gastos.

Fazer um checklist digital ajuda a descobrir quais condutores se envolvem em acidentes com maior frequência ou consomem mais combustível que os demais. Ademais, essa funcionalidade pode indicar os melhores trajetos e aprimorar as entregas em todos os aspectos (custos, qualidade e tempo).

Se você, gestor de frotas, investir em seu próprio desenvolvimento e capacitação, certamente terá habilidades para colocar sua transportadora em uma posição de destaque no mercado. Portanto, não perca tempo e comece já a investir em sua vida profissional!

Gostou deste conteúdo? Então compartilhe-o com seus colegas nas redes sociais para que eles também possam melhorar suas técnicas de gestão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *