Entenda como fazer a gestão da manutenção de caminhões da sua empresa - Blog Cavese Scania - Tudo sobre o seu caminhão
Entenda como fazer a gestão da manutenção de caminhões da sua empresa

Você já parou para pensar na relevância da gestão da manutenção, especialmente em frotas de caminhões? Essa prática é crucial para controlar os gastos com ajustes e substituições de componentes, além de melhorar o desempenho operacional mediante o gerenciamento das atividades de cada veículo.

Entretanto, alguns gestores deixam de realizá-la periodicamente, gerando grandes prejuízos. Não se deve negligenciar esse processo, pois uma falta de cuidado dessa natureza pode causar problemas de produtividade e ainda prejudicar as finanças da transportadora.

Em contrapartida, as vantagens da gestão da manutenção são diversas, como elevação da disponibilidade, entregas mais rápidas, aumento da satisfação dos clientes e diminuição dos custos de operação.

Mas como conseguir tudo isso? Neste texto vamos apresentar algumas dicas, basta seguir a leitura. Vamos lá?

Invista em uma política de gestão da manutenção

Antes de tudo, é preciso compreender quais são as três categorias de manutenção de frotas. Vamos a elas:

Manutenção corretiva

Realizada após a manifestação do defeito e, em geral, dependendo de sua gravidade, o caminhão ficará inoperante durante um determinado período para que seja restabelecida sua condição de uso normal. Esse tipo de reparo traz muitos prejuízos, pois exige custos, como a compra de peças caras e mão de obra. Sem contar que também pode deixar os clientes na mão.

Manutenção preditiva

Como o nome já sugere, o intuito da manutenção preditiva é prever quando poderá surgir uma falha, embasando-se em indicadores de aquecimento, desgaste, ruído, vibração ou outros, conforme o tipo de componente, veículo ou modelo em questão. Com isso, evita-se paradas de emergência e contratempos que trariam efeitos negativos à produtividade.

Manutenção preventiva

Essa categoria de manutenção reduz gastos desnecessários com a frota, uma vez que constitui-se em organizar, com antecedência, as paradas para ajustes em geral, como troca de óleo (e outros fluidos) e substituição de peças (pneus, correias, amortecedores).

Seu custo pode ser até 40% inferior às ações corretivas, além de garantir segurança, esticar o prazo entre manutenções e diminuir a ocorrência de problemas no trajeto.

Enfim, para usufruir dessas vantagens, é preciso criar um plano de manutenção. Em uma agenda, ou em uma ferramenta de gestão de frotas, marque quais caminhões e peças serão inspecionadas e suas respectivas datas. Programe-se de modo que atenda à demanda de revisão de cada uma das máquinas. Com isso, você impede que a frota sofra prejuízos por causa de unidades insuficientes para circular e atender às solicitações da clientela.

Conheça os veículos da sua frota

Examine todas as descrições e especificações de todos os veículos que pertencem ao seu empreendimento. Isso o ajudará a elaborar o plano de manutenção citado no tópico anterior, pois você conhecerá as peças ideais, a hora certa e como deve ser realizada a conservação de cada caminhão. Os dados que não podem faltar são:

  • manutenções recomendadas pela marca fabricante;
  • relação de desgaste por peso de carga;
  • especificidades de desempenho e volume de carga;
  • periodicidade de trocas de filtros e lubrificantes;
  • detalhes das rotas de suas entregas, como pedágios e rodovias em más condições.

Obtenha mão de obra qualificada para a manutenção da frota

Tão relevante para uma frota quanto investir em novos caminhões, peças, pneus e acessórios de boa qualidade, é essencial que a mão de obra seja qualificada — tanto para condução quanto para manutenção.

Portanto, fuja de mecânicos desqualificados e busque boas referências. Isso porque, quanto mais capacitado e competente for esse tipo de profissional, melhor será o serviço prestado. Isso traz diversos resultados positivos, como:

  • economia;
  • maior vida útil do caminhão;
  • redução de paradas provenientes de quebras;
  • aumento dos lucros.

Utilize um bom software para fazer a gestão da manutenção

A utilização excessiva de planilhas de controle costuma ser altamente complicada e pouco confiável, sem contar que preparar e alimentar esses registros demanda muito tempo dos responsáveis.

Ademais, um controle ineficiente faz com que peças desnecessárias sejam adquiridas, prazos saiam do controle, erros operacionais sejam cometidos, informações possam ser perdidas, entre outras adversidades.

Esses inconvenientes podem ser remediados com a simples utilização de um software de gestão e manutenção de frotas, que:

  • automatiza todas as operações burocráticas (emissão de documentos e notas fiscais);
  • envia alertas de manutenção com base nos planos lançados;
  • gera relatórios mais completos e abrangentes;
  • elimina erros humanos;
  • diminui a necessidade de digitação, pois salva os caracteres mais usados;
  • permite que os funcionários administrativos possam focar em suas obrigações principais.

Tudo isso pode ser conseguido por preços bastante acessíveis, logo, a relação custo-benefício é bem vantajosa.

Conheça e gerencie as rotas

Algumas rotas e trajetos exigem mais das máquinas. Veja alguns dos fatores que podem gerar um maior desgaste nos seus veículos:

  • vias com muitas subidas, descidas e curvas: exigem muito dos pneus, freios e caixa de câmbio;
  • estradas irregulares: geram um desgaste acentuado na suspensão;
  • locais com muita poeira: danificam mais rapidamente os filtros dos caminhões.

Para economizar com manutenções, programe as rotas de maneira que os condutores não transitem por caminhos com essas características sempre que possível, ainda que estenda um pouco a quilometragem rodada.

Cheque os itens essenciais antes de uma viagem

Crie um checklist de viagem, incluindo todos os detalhes que precisam ser verificados para trazer mais comodidade e segurança. Essa lista varia conforme a transportadora e os tipos de veículos que ela utiliza, mas existem alguns elementos comuns a todos os percursos, que são:

  • inspecionar a calibragem e o estado dos pneus;
  • ver se existe combustível suficiente antes de pegar a estrada;
  • checar o nível dos fluidos, como água, aditivo e óleo;
  • averiguar o funcionamento do sistema elétrico, do rastreador e dos faróis;
  • conferir acessórios, como chave de roda, estepe, extintores e macaco;
  • confirmar se o período de manutenção está sendo respeitado;
  • verificar se os documentos de licenciamento e seguro estão em dia.

Acompanhe o desgaste natural das peças

Independentemente de os caminhoneiros transitarem por uma rodovia de boa qualidade, ainda haverá o desgaste resultante do uso contínuo do veículo. Os principais componentes que necessitam de acompanhamento são: pneus, pastilhas de freio, limpador de para-brisa, filtros e lubrificantes.

Apesar de a gestão da manutenção ser necessária para garantir a durabilidade dessas peças, é preciso atentar aos desgastes e substituí-las sempre que for viável.

Esperamos que as informações mencionadas ao longo deste conteúdo tenham o ajudado a compreender como fazer a gestão da manutenção de uma frota. Aproveite e coloque-as em prática agora mesmo para que você possa aumentar a qualidade dos seus serviços, gerar economia e aumentar seus lucros!

Gostou deste conteúdo? Já que você chegou até aqui, que tal conhecer as vantagens que as peças originais podem trazer para o seu caminhão?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *