Descubra agora como fazer o descarte de pneu corretamente! - Blog Cavese Scania - Tudo sobre o seu caminhão
Descubra agora como fazer o descarte de pneu corretamente!

Sabe-se que um pneu demora cerca de 600 anos para se decompor. Apenas em nosso país são produzidos, aproximadamente, mais de 40 milhões de unidades por ano. E nessa estimativa se encontra o grande problema atual: fazer o descarte de pneu inservível (aquele que não pode ser mais reparado ou recauchutado) de uma forma ecologicamente adequada.

Não é necessário ser um especialista neste assunto para compreender que pneus desgastados comprometem a estabilidade do caminhão, coloca em risco a segurança e ainda gera grandes danos à natureza, principalmente quando deixados em locais inapropriados.

Continue lendo este post para aprender um pouco mais sobre esse item tão importante para veículos. A seguir, você vai descobrir como fazer o descarte de pneu da melhor forma possível. Boa leitura!

O que os pneus têm a ver com o meio ambiente?

A descoberta dos pneus à base de borracha fez com que fossem extinguidas as rodas de ferro e madeira, utilizadas em carroças e carruagens ao longo de muitos séculos. Essa grande evolução foi possível graças ao norte-americano Charles Goodyear, que descobriu o processo de vulcanização da borracha, quando a misturou com enxofre e despejou no fogão “sem querer”. Mal sabia ele que sua criação revolucionaria o mundo todo.

Entre as suas potencialidades industriais, a borracha — além de ser mais durável e resistente — absorve melhor o impacto das rodas com o solo/piso, tornando os meios de transportes rodoviários muito mais confortáveis e práticos.

No entanto, com o passar do tempo, a utilização dos pneus trouxe consigo a problemática ambiental. Isso porque, grande parte deles são abandonados em locais impróprios, gerando muitos transtornos para a saúde e o bem-estar da sociedade e do meio ambiente.

Para você ter uma ideia do tamanho do problema, os pneus são moradas perfeitas para animais e insetos indesejados — baratas, roedores, aracnídeos e mosquitos —, o que contribui para a proliferação de diversos tipos de doenças.

Além disso, a produção de novas unidades está estimada em torno de 2 milhões/dia em todo o planeta. O descarte chega a alcançar, todos os anos, a margem de quase 800 milhões de pneus.

Como reutilizar os pneus?

Felizmente, os pneus descartados podem ser reciclados ou reutilizados de diversas formas. Sendo assim, listamos a seguir as opções mais populares:

Recauchutagem

Os pneus avariados podem ser reutilizados após passarem pelo processo de recauchutagem. Esta atividade baseia-se na extração por raspagem da banda de rodagem deteriorada da carcaça e na aplicação de uma nova banda. Depois da vulcanização, o pneu “recoberto” terá a mesma durabilidade e resistência que o novo.

Vale mencionar que pneus reformados deverão conter uma espécie de “Selo de Identificação de Conformidade”, conseguido por meio de testes após o processo de reparo e que comprova sua qualidade e segurança. Nele, deve estar descrito:

  • a característica da reforma;
  • a data na qual o procedimento foi feito;
  • o total de recauchutagens já realizadas;
  • as recomendações de uso e velocidades a serem obedecidas.

Essa alternativa favorece os veículos que utilizam pneus mais caros, como os de caminhões e ônibus, pois nestes segmentos os custos são mais controlados. Porém, existe um limite no número de recauchutagem que pode ser, em média, de 1 a 2 vezes. Isso vai depender da severidade da atividade, das condições do trajeto percorrido e dos cuidados com a manutenção.

Engenharia civil

O uso de grânulos de borracha na construção civil envolve muitas soluções úteis, tais como:

  • pisos de academia;
  • pistas de atletismo;
  • amortecedor de campos de futebol e gramas sintéticas;
  • obstáculos para trânsito;
  • material de construção em playgrounds e parques;
  • recifes artificiais para criação de peixes ornamentais;
  • quebra-mar.

Regeneração da borracha

O processo de regeneração nada mais é do que a separação da borracha vulcanizada dos demais ingredientes e sua digestão por meio de vapor e soluções químicas, como óleos minerais, mercaptanas (espécie de álcool de enxofre) e álcalis. A massa deste processamento é batida em moinhos até a obtenção de uma manta homogênea ou extrusada, a fim de formar um material granulado.

Geração de energia

O poder de calor dos grânulos de pneu é semelhante ao do óleo de combustível, atingindo cerca de 40 Mej/kg. Esse material pode ser queimado em fornalhas já projetadas para potencializar a combustão. Em indústrias de cimento mundo afora, por exemplo, sua incineração já é uma realidade.

Algumas empresas do Brasil já experimentam essa solução. Mas o campeão é os Estados Unidos, que queima em torno de 100 milhões de carcaças de pneus anualmente. É uma energia renovável e tanto para quem pretende gerar economia nos negócios.

Asfalto modificado com borracha

O método envolve a adição da borracha no material do asfalto. Mesmo que gere mais custo, a incorporação de grânulos no pavimento pode esticar a vida útil da rodovia, pois concede ao pavimento mais elasticidade diante das mudanças climáticas do dia a dia. Seu uso também ameniza o ruído causado pelos veículos em contato com a estrada.

Transformação de itens decorativos

Sim, é perfeitamente possível transformar pneus velhos em objetos. E as opções são inúmeras e bastante criativas. Dentre as principais, podemos destacar:

  • cadeiras;
  • bancos;
  • mesas;
  • sofás;
  • canteiros;
  • vasos;
  • jardineiras.

Como fazer o descarte de pneu corretamente?

Segundo o artigo 33 da Política Nacional de Resíduos Sólidos e a Resolução CONAMA Nº 416/2009, todas as fabricantes devem realizar a destinação adequada para os pneus considerados inservíveis. Em virtude dessa realidade, as empresas do ramo criaram uma entidade denominada Reciclanip, com o intuito de fazer esse procedimento de uma maneira mais organizada e eficiente. Atualmente, existem mais de 1000 pontos de coleta em todo o país.

Para saber onde fazer o descarte de pneu da sua frota, basta consultar a tabela com todos os locais de coleta acessando a página da Reciclanip.

Entretanto, se você não estiver próximo de nenhum ponto, é possível fazer o descarte correto de 4 formas:

  1. criar parcerias para construir um ponto de coleta na sua região: é fundamental que o ambiente seja coberto e protegido, para evitar o acúmulo de água parada ou mesmo o acesso de indivíduos não autorizados;
  2. na hora de trocar o pneu desgastado por um novo: deixe-o com a borracharia. Ela se encarregará de despachá-lo para um local mais apropriado;
  3. caso você tenha uma pilha de pneus inservíveis na sua empresa e não sabe o que fazer, tome uma atitude simples: dirija-se a qualquer revendedor e entregue-os lá. Eles vão recebê-los e destiná-los corretamente;
  4. para quem reside em municípios do interior, muito distantes de qualquer ponto de coleta: basta acionar a prefeitura e procurar por estabelecimentos voluntários, em que poderá deixar os pneus sem serventia.

Esperamos que essas informações tenham o ajudado a compreender e descobrir como fazer o descarte de pneu da melhor forma possível. Aproveite para compartilhar este post com seus amigos e colegas nas redes sociais para que eles também saibam como proceder corretamente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *