Controle de combustível: 7 práticas para reduzir esse custo - Blog Cavese Scania - Tudo sobre o seu caminhão
Controle de combustível: 7 práticas para reduzir esse custo

Em função das recentes e aterradoras mudanças climáticas, o mundo finalmente tem buscado um rumo à sustentabilidade. Essa é uma realidade inevitável, afinal de contas, até mesmo os setores da indústria que operavam em função dos combustíveis fósseis estão desenvolvendo conceitos na utilização de energia limpa, vide os carros elétricos — e é aqui que entra o controle de combustível.

É claro que não seria diferente no meio empresarial brasileiro. Em realidade, o desperdício se tornou a “bruxa” da nossa década, sendo caçada com veemência pelos empreendedores que visam operações mais limpas, ambientalmente amigáveis e, sobretudo, lucrativas.

Por tal motivo, dedicamos este artigo ao controle de combustível das frotas. Afinal, atravessamos um momento em que ajudar o meio ambiente precisa dividir espaço com um aumento de eficiência e lucratividade. Isto posto, o gestor de frotas precisa estar pronto para guiar a sua empresa rumo a uma existência limpa, produtiva e eficiente.

As práticas indispensáveis no controle de combustível

Tratando-se de custos, mal precisaríamos enumerar os benefícios da redução no consumo de combustível. Recentemente, a historiografia política brasileira testemunhou a paralisação dos caminhoneiros que, munidos de propósitos, reivindicavam condições mais justas ao seu trabalho.

A principal pauta foi a redução da carga tributária sobre o Diesel, viabilizando a operação dos profissionais, que se viam asfixiados pelos altos custos, com baixíssimos retornos. À parte da redução nos custos, o controle de combustível também é uma prática que melhora a imagem ambiental da frota, que passa a receber mais simpatia do consumidor a quem serve.

Sem mais delongas, confira agora as 7 práticas indispensáveis ao controle de combustível!

1. Planilhas

Talvez você já tenha escutado a expressão: “informação é poder”. Acredite, ela faz todo sentido, ainda mais no controle de algum recurso, atividade fundamental em se tratando do cotidiano do gestor de uma frota. Por isso, caso ainda não seja adepto das planilhas, torne-se um!

As planilhas — independentemente do software usado para fazê-las ou analisá-las — são excelentes maneiras de visualizar estatísticas, com a facilidade de edição ao preencher novos dados. Para as frotas que ainda não possuem um software dedicado ao monitoramento de todas suas ações, a planilha tem sua importância intensificada.

Ela não será a solução para todos os seus desafios, mas apenas ao tabelar os abastecimentos, custos e quilometragens você já conseguirá enxergar alguns supostos abusos, que podem denotar desvios, excessos de velocidade, entre outras irregularidades que precisam ser excluídas de uma operação.

2. Parcerias

O mundo corporativo se resume à negociação. Você pode sugerir ao corpo administrativo da empresa o ato de estabelecer parcerias com algum posto de combustível da região. Estes tratos têm como principal característica uma relação de ganho mútuo.

Ambos os lados são beneficiados, sejam os postos ao receberem todas as unidades da sua frota para abastecer, seja a sua empresa com uma redução substancial no valor cobrado pelo litro do Diesel. A recomendação final é: antes de fechar uma parceria, negocie com mais de um fornecedor!

3. Quilometragens

O controle de combustível inevitavelmente vai de encontro ao monitoramento dos veículos. Afinal de contas, a maneira mais eficiente de verificar irregularidade é ao confrontar os dados. A quilometragem dos caminhões pode ser monitorada por módulos instalados nos veículos.

Esses módulos apresentam não somente a quantidade de combustível gasta, mas também as velocidades de tráfego e distâncias percorridas. Combinar esses dispositivos de monitoramento com um software competente na gestão da frota facilita ainda mais a missão de coibir os desperdícios.

4. Abastecimentos

Estipular metas é uma prática fundamental a qualquer gestor. Portanto, defina metas de abastecimento para os veículos da sua frota e se certifique de conscientizar seus colaboradores em relação a isso. Novamente, ressaltamos que os módulos citados na prática anterior também lhe informam sobre o consumo preciso de combustível.

Dessa maneira, monitorando essa informação, você poderá determinar as metas de abastecimento, estabilizando esses custos operacionais junto ao fornecedor — inclusive, ter esses dados (litros por período por caminhão) facilita na negociação das parcerias.

5. Repasses

Nas parcerias com os postos, geralmente são estabelecidos contratos que determinam as condições do negócio. Nessa ata, tanto a sua empresa quanto o fornecedor determinarão um período para o ciclo dos vales, podendo ser mensal, a cada duas semanas ou qualquer outra periodicidade que for conveniente a ambos.

Ao final desses períodos, o fornecedor lhe encaminhará uma fatura com o descritivo de todos os valores e abastecimentos feitos pelos seus funcionários, detalhando custos e quantidades por veículo.

Por isso, nessa etapa, você ou outro funcionário encarregado do controle contábil deverá fazer a conferência desses valores, examinando os gastos. Ao encontrar irregularidades, deverá reunir suas informações para questionar ou abonar os erros de cobrança.

6. Manutenções

Todos sabemos que veículos avariados são verdadeiras dragas de combustível. Para além dos gastos extras com abastecimento, caminhões com problemas de manutenção circulando nada mais são do que bombas-relógio, podendo ocasionar gastos tanto em reparos quanto em processos indenizatórios, recorrentes de alguma tragédia.

Portanto, com a ajuda da sua planilha ou de um software de gestão, mantenha um cronograma detalhado da manutenção preventiva dos caminhões. Detalhamentos como últimas manutenções, peças substituídas, trocas de fluidos — enfim, todos os eventos devem ser acompanhados de suas respectivas datas.

A antecipação é a maior amiga do gestor de frotas, seja no controle de combustível, seja no aumento da eficiência operacional.

7. Velocidades

Lembra dos módulos monitores de combustível? Eles também têm sua importância ressaltada aqui. Esses dispositivos, encontrados em todos os graus de sofisticação possível, em alguns casos até podem rastrear a localidade dos veículos da frota, simultaneamente ao monitoramento de velocidade.

Todos sabemos que as conduções agressivas — com o “pé no porão”, por assim dizer — são grandes causadoras do desperdício de combustível, por isso o acompanhamento de velocidade é tão importante. Caso você alie a instalação dos módulos à conscientização dos motoristas, os resultados melhorarão drasticamente.

Pode até parecer bastante coisa, mas isso é comum a todos os grandes desafios. No entanto, tenha a certeza de que combinar todas essas práticas garante uma melhora imediata nos resultados. Outra dica bacana é planejar rotas, evitando trechos congestionados em que se perde eficiência energética e logística, com os veículos parados e ligados.

E aí, curtiu essas dicas para o controle de combustível? Lembrou-se de outras atitudes que ajudaram a sua frota? Então deixe um comentário abaixo, compartilhando conosco e demais leitores as suas ideias em relação ao assunto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *