As 9 principais dúvidas sobre calibragem de pneus da frota - Blog Cavese Scania - Tudo sobre o seu caminhão
As 9 principais dúvidas sobre calibragem de pneus da frota

Caminhões rodam por todo o país de norte a sul, levando toneladas de mercadorias em cada trajeto. Logo, é necessário estar atento à manutenção dos veículos, especialmente com a calibragem de pneus, uma vez que a falta de cuidados nesse quesito pode afetar o desempenho e os custos dos caminhões.

Sem contar que esse tipo de negligência compromete a segurança do motorista e de terceiros, que compartilham as estradas, além de também diminuir a durabilidade desse acessório tão essencial.

Entretanto, o procedimento de calibragem de pneus costuma gerar algumas dúvidas. Por conta disso, listamos os questionamentos mais frequentes sobre o tema. Conheça-os abaixo!

1. Quando calibrar os pneus?

É preciso ficar vigilante quanto à condição dos pneus, pois a aparência murcha indica urgência na calibragem. No entanto, esse “sintoma” nem sempre é visível e, ainda que as rodas pareçam perfeitas, elas podem estar com pouca pressão. Para evitar imprevistos, é fundamental fazer o enchimento dos pneus a cada 15 dias ou quando for feita uma viagem mais longa.

2. O que é baixa pressão?

Baixa pressão nada mais é do que a ausência de ar dentro do pneu. Desse modo, ele terá sua amplitude alterada, provocando um desgaste acentuado e desproporcional da banda na área dos ombros, o que reduz sua vida útil e aumenta o consumo de combustível. Outras implicações: soltura das peças da estrutura da roda e superaquecimento.

3. O que é alta pressão?

O excesso de pressão também modifica a região de contato do pneu com o piso, gerando também uma deterioração acelerada no meio da banda de rodagem. Portanto, nunca pense que a alta pressão suprirá a sobrecarga!

Pneus com essa característica ficam extremamente vulneráveis, pois a pressão é muito superior àquela para a qual eles foram projetados, tornando-os suscetíveis a cortes e furos, além de causar desconforto ao dirigir.

4. Usar nitrogênio ou ar comprimido?

Sim, existem duas opções disponíveis no mercado, porém o nitrogênio é um pouco mais difícil de encontrar. Em geral, somente as oficinas especializadas contam com esse tipo de gás, enquanto que, nos postos, o ar comprimido é mais comum.

A vantagem é que o nitrogênio mantém a pressão do pneu regulada por mais tempo em relação ao convencional ar comprimido. Como consequência, ao calibrar com o gás nobre, o pneu terá menos desgaste e o período de inspeção da regulagem pode ser mais espaçado. O nitrogênio é muito usado em corridas, uma vez que melhora o desempenho dos veículos.

Importante! Os dois gases não podem ser misturados. Caso você queira fazer a substituição, será preciso esvaziar totalmente os pneus, tomando cuidado para não danificar as laterais por causa do peso do caminhão.

5. O estepe deve ser calibrado constantemente?

Imprevistos podem surgir a qualquer hora, e, se for preciso utilizar o estepe, ele deve estar em perfeitas condições para sair rodando. Sendo assim, calibre-o a cada 7 ou 15 dias, com duas libras a mais que o recomendado, pois ele ficará armazenado no compartimento e pode esvaziar precipitadamente.

Além disso, o ideal é usar a mesma marca de pneu em todas as rodas, inclusive no reserva, para evitar problemas de estabilidade ao dirigir o veículo.

6. Os pneus devem estar frios para fazer a calibragem?

Costumeiramente você calibra os pneus quando vai abastecer, correto? E nem sempre isso ocorre no posto de combustível mais próximo da sua transportadora ou da casa de seus motoristas. O que decorre é que para a calibragem ficar confiável, os pneus precisam estar com a temperatura baixa. Por isso, o processo deve ser feito dentro de um trajeto máximo de dois quilômetros.

Quando isso não for possível, acrescente 3 libras à pressão recomendada pelo fabricante, uma vez que já existe uma pressão interna criada pelo ar quente circulante. Entretanto, assim que possível, realize outra avaliação com o pneu frio e faça a regulagem correta.

7. Quais locais são mais adequados para fazer a calibragem de pneus?

Alguns estabelecimentos oferecem o serviço de calibragem de pneus. Os postos são os mais populares. Mas, no momento de calibrar, é importante que você procure sempre um frentista para ajudá-lo, já que eles tem mais experiência com essa função.

Outros locais que oferecem o aparelho para calibragem são as oficinas especializadas em procedimentos automotivos e as lojas que vendem pneus. Esses ambientes possuem dispositivos mais sofisticados e confiáveis, pois são ajustados constantemente e, por esse motivo, o serviço é feito com maior exatidão.

Uma boa dica para calibrar os pneus corretamente é conhecer a pressão ideal para eles, sendo que há diferenças entre os modelos, devido ao porte e capacidade de carga de cada veículo.

8. Por que é necessário substituir as válvulas dos pneus?

A válvula é um componente avulso do pneu. Ela ajuda na vedação e segurança do caminhão. Sujeitas a grandes pressões, as válvulas se desgastam pela ação da força centrífuga.

Por conta disso, é aconselhável trocá-las sempre que o pneu for substituído, para não prejudicar sua vida útil e a segurança do condutor.

9. Quais costumes devem ser evitados para conservar a pressão e manter a durabilidade dos pneus?

O comportamento de cada motorista na direção influencia diretamente na deterioração e na longevidade dos pneus. Conheça alguns hábitos que devem ser evitados:

  • alta velocidade: acarreta um flexionamento excessivo do veículo, o que superaquece os pneus e intensifica o desgaste da banda de rodagem;

  • curvas em velocidade: compromete o rastejo dos pneus e gera um atrito mais acentuado nos ombros;

  • arrancadas ou freadas bruscas: causa um desgaste acelerado e irregular nos pneus;

  • subir ou descer em acostamentos e guias de calçada: pode ocasionar cortes e remoção da banda de rodagem, provocando separações e até estouros. Portanto, fique atento aos desníveis das vias para não ser surpreendido;

  • roçar os pneus na guia: a raspagem intensa ou frequente entre o pneu e o meio-fio pode diminuir sua pressão e torná-lo mais vulnerável a fissuras, bem como provocar arrancamentos nessa área. Nesse contexto, vale a mesma recomendação do ponto anterior.

As dúvidas mencionadas ao longo deste conteúdo foram suficientes para responder seus questionamentos sobre calibragem de pneus da frota? Esperamos que sim. Agora é só colocar essas dicas em prática para garantir a conservação e a eficiência dos pneus.

Gostou deste post? Se esquecemos de mencionar algo que você considera relevante para o tema, utilize o campo de comentários abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *