5 combustíveis alternativos para você considerar - Blog Cavese Scania - Tudo sobre o seu caminhão
5 combustíveis alternativos para você considerar

A demanda por sustentabilidade e as crises nos sistemas de abastecimento de combustíveis derivados do petróleo colocam em pauta diversos desafios, mas também oportunidades. Nesse cenário, os fabricantes de caminhões investem em tecnologias e pesquisas para que os protagonistas das estradas continuem atendendo às demandas de maneira sustentável. Ou seja, eles buscam viabilizar a redução dos poluentes, do consumo e dos ruídos e, principalmente, a utilização de combustíveis alternativos.

Entre as vantagens de abastecer a frota com combustíveis alternativos estão a diminuição da emissão de poluentes, a redução dos custos com combustível a médio e longo prazo, o declínio da necessidade de manutenção constante em virtude da “queima limpa”, o aumento da vida útil do veículo e a atenuação do impacto ambiental resultante da produção dos combustíveis.

O que parecia coisa do futuro já está se tornando uma realidade com a utilização de combustíveis renováveis por caminhões e outros meios de transporte. E você, já conhece os combustíveis alternativos? Confira agora quais são, como acontecem os processos de extração e as vantagens oferecidas por cada um deles.

1. Biogás

O biogás é um tipo de energia renovável —  um biocombustível — gerado em determinadas condições de umidade, acidez e temperatura a partir da atuação de bactérias fermentadoras de matérias orgânicas. Basicamente, esse gás é uma mistura de metano e dióxido de carbono. A utilização do biogás se justifica, dentre outras questões, pela sua relação com a matéria orgânica, ou seja, a partir de sua produção se torna possível reaproveitar o lixo orgânico.

Dentre os materiais utilizados na produção do biogás estão: esterco, restos vegetais, palhas, esgotos e outros resíduos “naturais”. Atualmente, ele é produzido por biodigestores anaeróbios, geralmente em áreas rurais e alguns espaços urbanos em países como China, Índia e Brasil. Com o avanço da tecnologia espera-se que os biodigestores ampliem suas capacidades para que o lixo possa ser mais bem aproveitado.

Atualmente, o biogás (biometano) é utilizado na geração de energia elétrica e como combustível para fogões e motores. No Brasil, a usina de Itaipu já conta com um sistema de produção que abastece parte de sua frota de veículos. O combustível pode ser utilizado também nos caminhões híbridos e adaptados ao gás natural veicular (GNV).

2. Biodiesel

O biodiesel pode ser obtido a partir da extração da glicerina do óleo de vegetais, como colza, mamona, amendoim, soja e girassol. A sua produção também pode acontecer a partir de gorduras animais, sendo, portanto, um dos combustíveis alternativos cujas fontes são renováveis.

A utilização do biodiesel como combustível já não é novidade. Ele pode ser utilizado na sua forma pura ou misturada para alimentar os veículos que utilizam o diesel como combustível. Em alguns postos, ele é comercializado sob o nome B2, o que quer dizer que há 2% de biodiesel e 98% de diesel tradicional.

3. Bioetanol

Dentre os combustíveis renováveis, o bioetanol possivelmente é o mais conhecido. Diferentemente do etanol tradicional produzido a partir de composições fósseis, o bioetanol utiliza como matéria-prima os vegetais. No Brasil, a principal fonte de extração é a cana-de-açúcar. Já nos Estados Unidos, o milho é utilizado como matéria-prima, enquanto na França utiliza-se majoritariamente a beterraba.

Além da origem renovável, quando comparado à gasolina, esse combustível pode proporcionar redução de 60% de emissões dos gases responsáveis pelo efeito estufa. Atualmente, o bioetanol é o único combustível líquido prontamente disponível para ser utilizado na substituição parcial da gasolina, o que representa um grande avanço, não é mesmo?

As montadoras já oferecem veículos movidos pelo E85, cuja composição é 85% de etanol e 15% de gasolina. O bioetanol também vem sendo testado e utilizado para abastecer baterias de carros elétricos. Não para por aí. Muitos caminhões da Scania funcionam de maneira híbrida e/ou com biocombustíveis. Tal feito reduz consideravelmente a emissão de poluentes e, claro, os custos com o abastecimento dos caminhões.

4. Eletricidade

Os carros movidos a eletricidade vêm ganhando cada vez mais espaço ao redor do mundo. O sistema funciona com uma bateria que armazena a energia e pode ser recarregada por meio de um sistema similar às tomadas tradicionais. No Brasil ainda são poucos os pontos de recarga disponíveis. A grande vantagem é a redução dos custos relacionados ao abastecimento e a baixíssima emissão de gases, mas isso não é novidade.

O grande avanço está nos caminhões da Scania. A empresa aposta na sustentabilidade e na tecnologia para inovar o setor de transportes com os caminhões elétricos que vão trafegar inicialmente pelas estradas eletrificadas da Alemanha. Vale lembrar que, para alcançar o ideal de sustentabilidade, os modelos de transporte alimentados pela eletricidade devem obter a energia de fontes renováveis, tais como a solar e a eólica, o que também vem crescendo a cada dia.

5. Gases naturais

Existem também outros tipos de gases naturais que podem ser utilizados como combustíveis alternativos para os caminhões, como o gás natural veicular (GNV), o gás natural líquido e o gás de petróleo liquefeito (GLP). Vejamos do que se trata cada um deles.

O GNV é formado pela mistura de hidrocarbonetos, os quais passam para o estado gasoso quando submetidos à temperatura ambiente e à pressão atmosférica. Ele é constituído, principalmente, por metano e pode ser extraído de rochas porosas localizadas no subsolo, sendo, muitas vezes, acompanhado pelo petróleo. A queima do GNV certamente é uma das mais limpas, e esse tipo de combustível apresenta uma das melhores relações custo-benefício, já que o consumo é inferior ao do etanol e da gasolina.

Assim como o GNV, o gás natural líquido também é extraído do subsolo. Ele é bastante similar ao gás de cozinha tradicional, entretanto se diferencia deste em razão da pressão e da temperatura a que é submetido, o que o torna líquido. Devido à grande quantidade de energia gerada por esse gás, ele passou a ser indicado e utilizado em grandes equipamentos, carros e caminhões.

O gás propano, mais conhecido como GLP, também é um hidrocarboneto (propano e butano) com incrível potencial energético. Ele apresenta maior densidade quando comparado ao gás natural líquido e à gasolina. Assim como os outros gases, o GLP pode ser obtido a partir do refino do petróleo e de outros combustíveis fósseis.

Esses são alguns dos combustíveis alternativos a serem considerados na hora de montar a frota! Substituir o abastecimento tradicional pode gerar grande economia, além de reduzir os impactos ambientais.

Gostou deste artigo? Assine a nossa newsletter para ter acesso a mais conteúdos relacionados aos caminhões e à gestão da frota!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *